Traqueo

Traqueostomia

 Traqueostomia

A traqueostomia é um procedimento cirúrgico que tem por objetivo comunicar diretamente a traqueia do paciente ao meio externo, permitindo um fácil acesso à via aérea.

Há relatos de realização de traqueostomia desde 3600 a.C. no Egito Antigo! Então dá pra ver a importância da realização desse procedimento, né? Afinal, se não conseguimos respirar a morte vem em questão de poucos minutos.

Indicações

Existem alguns motivos para realizar uma traqueostomia:

  • Obstrução da vis aérea: pode ser por um tumor na garganta, um tumor fora da garganta que está apertando ela, processos infecciosos ou inflamatórios que causem um edema súbito na garganta, trauma na face ou no pescoço, aspiração de algum objeto.
  • Proteção da via aérea de forma preventiva: na realização de alguma cirurgia na boca ou pescoço que se imagina que pode ocorrer algum edema importante que chegue a obstruir a via aérea. Assim, a traqueostomia já é feita de forma preventiva.
  • Doenças degenerativas, neurológicas ou traumáticas que dificultem a respiração
  • Pacientes internados em UTI necessitando de ventilação mecânica por período prolongado. O tubo normal que se passa pela boca até a garganta para ventilação pode terminar prejudicando a laringe se utilizando por vários dias. Por isso é preferível trocar para uma traqueostomia.
  • Pacientes que se engasgam frequentemente ou que não conseguem proteger o seu pulmão de alimentos que ingerem ou até mesmo da própria saliva.

O Procedimento

O procedimento cirúrgico propriamente dito é relativamente simples e dura apenas alguns minutos. Ele consiste em colocar um tubo através de um orifício feito no pescoço. Assim o ar já entra direto por ali, já chega direto bem pertinho do pulmão.  Boa parte das cânulas têm um pequeno balão que serve para bloquear a descida para o pulmão de alguma secreção que venha da boca, como alimento ou saliva. Então ao mesmo tempo que ela permite a passagem do ar para o pulmão, ela o protege contra outras coisas que não devem ir para lá.

Como qualquer cirurgia, existem as complicações possíveis, mas essas são relativamente baixas. Apesar de se estar mexendo num órgão vital para a vida, a mortalidade durante o procedimento é menor que 1%.

Assim, as complicações mais importantes durante a realização do procedimento  são sangramento, posicionamento inadequado da cânula devido a um falso trajeto e pneumotórax (lesão do pulmão). Após alguns dias, as complicações possíveis mudam, e dependem bastante de quem faz os cuidados com a traqueostomia. Essas possíveis complicações são infecção e  obstrução da cânula por secreção da traqueia. É necessário fazer higiene da cânula várias vezes ao dia, e sempre que ela tiver uma endocânula (tipo um tubo dentro do tubo) retirar essa pare para lavar.

Para realizar esse procedimento, sempre que possível procure um cirurgião habilitado. Precisando de uma avaliação? Que tal marcar uma consulta?

O que deseja encontrar?

Compartilhe